Notícias

COMUNICADO FESISMERS

29/05/2018

COMUNICADO FESISMERS DE 29 DE MAIO DE 2018

     A FESISMERS vem tornar pública algumas ponderações quanto aos fatos que vem ocorrendo no cenário nacional, os quais têm sido pontuados e debatidos internamente entre os membros desta entidade sindical.  Principalmente no que tange à greve dos caminhoneiros, que tem despertado na sociedade um sentimento de esgotamento frente ao governo central e tudo que se relaciona aos políticos em Brasília. Vimos com naturalidade o ímpeto de muitos de nossos companheiros e o desejo de engajamentos na luta dos caminhoneiros, aproveitando assim o momento para convocar uma greve geral. Porém se faz necessária a leitura do cenário de forma serene e responsável, pois diante deste momento não podemos ser inocentes ao ponto de servirmos de massa de manobra a interesses ocultos.  Tampouco expor o movimento sindical, já tão desgastado, a serviço do outro lado. Uma vez que sabemos que há forças estranhas tentando manipular o movimento dos caminhoneiros.

     Pelo contrário, é dever desta Federação orientar as entidades filiadas no sentido de se afastarem da manipulação de quem precisa do caos e do sentimento de terra arrasada para implantar seu projeto de poder. Numa breve análise do cenário político atual, e das pesquisas eleitorais, constataremos que a frente de centro-esquerda soma mais de 60% das intenções de votos, sendo que se a eleição fosse hoje o próximo presidente seria de centro esquerda.  Soma-se a isso o fato de na quinta feira, 24/05, A CCJ do Senado, Comissão de Constituição e Justiça, aprovou o texto de um projeto que define as regras para a eleição indireta, pelo Congresso Nacional, do presidente e do vice-presidente da República em caso de vacância nos dois últimos anos do período.

     Sabedores que o movimento dos caminhoneiros teve iniciativa de entidades patronais e apoio das associações dos caminhoneiros autônomos, havendo até aqui dois momentos de rachas entre as lideranças do movimento. O primeiro na quinta feira com o acordo com o governo por parte dos empresários, o segundo no domingo à noite pela maioria das associações representadas, somente uma saiu da mesa de negociação e certamente não responde ao total da categoria de caminhoneiros autônomos. Também é verdade que nesse movimento não há nenhuma entidade sindical de trabalhadores de transporte de carga, nenhuma central sindical a frente da organização e das negociações, tornando assim o movimento desorganizado e com objetivos difusos, o que leva a falta de clareza de quem está por trás do movimento e a serviço de quem. Desta forma, apoiamos o movimento dos trabalhadores caminhoneiros, mas sem expor nossos dirigentes ao papel de massa de manobra, e sem antes analisar e entender o contexto do movimento. Neste interim, seguimos a posição de nossa Confederação – CSPB, e as orientações do Presidente João Domingos. Contudo, estamos organizando para a próxima quarta-feira, 30/05, apoio e participação na atividade em defesa da Justiça do Trabalho no TRT4, bem como apoio total à paralização dos petroleiros, convocada pelo sindicato da categoria.  

     Assim, cientes dos nossos anseios e da coragem da FESISMERS em protagonizar a reação dos trabalhadores em nossos municípios, o que não nos falta é vontade. Porém, devemos considerar e avaliar as condições para realizar a tarefa, principalmente no que diz respeito a capacidade de mobilização e logística para o patrocínio de uma greve, onde o sucesso deve ser nosso único resultado.

     Deste modo, considerando o atual momento e as dificuldades que estamos passando para sustentar minimamente a estrutura administrativa e jurídica da entidade, a fim de continuar disponibilizando os nossos serviços e recursos aos sindicatos, temos que o debate salutar sobre as nossas possibilidades e principalmente junto aos nossos servidores de base é de suma importância, motivo que estamos mais do que nunca abertos e motivados ao enfrentamento, mas sem nos descuidar das condições mínimas para realizar e atingir os resultados que almejamos.

 

Fraternalmente,

Marino da Silva

    Presidente da FESISMERS